Videoclipe | Together Montage

Videoclipe (português brasileiro) ou teledisco (português europeu) [1] é um filme curto e em suporte eletrônico (analógico ou digital). Devido à preponderância quase total dos vídeos musicais e publicitários na produção mundial de vídeos curtos, e porque os vídeos publicitários têm uma designação própria, durante algum tempo “videoclipe” foi quase sinónimo de vídeo musical, mas com o advento da internet de banda larga e a difusão de ficheiros de vídeo através dela, a palavra tem vindo a regressar ao seu sentido original.

Nos dias atuais, os estudiosos do “videoclipe musical”, já identificam como o começo desse tipo de vídeo na década de 1950, como as cenas de Gene Kelly em Cantando na Chuva de 1952 e Elvis Presley em Jailhouse Rock de 1957.Lembrando que Olivia Newton-Johnfoi uma das primeiras cantoras a fazer vídeo clipes começando com Deeper Than The Night em 1979 

Os vídeos musicais da indústria cultural contemporânea desenvolveram, principalmente a partir dos anos 80 do século XX, uma estética e uma linguagem próprias, chamadas de Estética Videoclipe. Essa forma é, geralmente, caracterizada por uma montagem fragmentada e acelerada, com planos (imagens) curtos, justapostos e misturados, narrativa não-linear, multiplicidade visual, riqueza de referências culturais e forte carga emocional nas imagens apresentadas.

Um exemplo forte desta nova estética é o videoclipe da canção Bizarre Love Triangle, da banda inglesa New Order, que entremeia imagens em movimento e estáticas de cenas urbanas (luzes néon e de postes, automóveis, pessoas caminhando nas ruas, em aeroportos e em pontes sobre o Tâmisa) com situações oníricas: pessoas engravatadas em queda livre contra um céu azul ao fundo.

Além dos clipes musicais propriamente ditos, o termo “Estética Videoclipe” se estende também para certos tipo de produções audiovisuais que seguem valores da televisão musical, ilustrativa e sincronizada com sucessos da música pop. A mídia canônica desta vanguarda é a MTV (Music Television), canal de televisão por assinatura internacional lançado nos Estados Unidos em 1981 e que, por suas produções próprias e pela seleção de vídeos que fazia, disseminou e consolidou novos gostos para as gerações seguintes. Por este motivo, determinados autores, como o marxista estadunidense Fredric Jameson, também se referem ao fenômeno como “Estética MTV“.

Esta estética está intimamente ligada aos valores e às ideologias do fenômeno cultural conhecido como pós-modernidade.

A pesquisadora Juliana Zucolotto (2002) relaciona a velocidade e a multiplicidade imagética da “Estética Videoclipe” ao ritmo próprio das culturas urbanas contemporâneas, justificando o advento da linguagem visual como linguagem cosmopolita pela “necessidade de uma representação de fácil e rápida assimilação com alto nível de abrangência e grande poder de sedução pelos estímulos que produz”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.