Record é acusada de racismo ao dizer que Beyoncé faz magia negra

Record é acusada de racismo ao dizer que Beyoncé faz magia negra
Reprodução

No último dia 6 de janeiro, a rede Record entrou nos trending topics do Twitter por ser acusada de racismo durante a exibição do programa “Fala Que Eu Te Escuto” ao associar a cantora norte-americana Beyoncé com “magia negra”.

A Record explorou um caso ocorrido em 2019 em que a ex-baterista de Beyoncé, Kimberly Thompson, foi aos tribunais contra a cantora dizendo que ela teria praticado bruxaria e matado seu gato. Nas imagens exibidas pela emissora, havia cenas do filme “Black is King“, que exalta a cultura africana, no mesmo contexto.

“Tem muita gente se envolvendo com magia negra, inclusive pessoas famosas” – comentou o bispo Adilson Silva durante o programa – “Uma prática obscura, famosa mundialmente pelo sacrifício de vidas. No Brasil, muitos crimes já foram motivados pela magia negra” – continuou.

A associação acabou repercutindo negativamente nas redes sociais, já que a Record teria feito uma analogia entre “magia negra” a cultura africana, associando como algo ruim. Além disso, ao falar do tema citando a Beyoncé, que é uma artista que sempre levantou a bandeira do orgulho negro, acaba por associar como algo preconceituoso.

“Tremenda irresponsabilidade, já que tem vários telespectadores que podem achar que de fato é isto. Beyoncé está falando sobre a cultura africana. Além de desinformados, são racistas e intolerantes religiosos” – disse um dos seguidores.

“Em pleno 2021, um canal de concessão pública apresenta uma matéria que demoniza as culturas africanas, acusando Beyoncé de praticar ‘magia negra’ e dizendo que esse termo significa a prática sobrenatural para o mal. Não tem outro nome se não racismo”, comentou um outro.

Vale mencionar que Black is King é um filme musical escrito e produzido por Beyoncé que está disponível no Disney+ desde o dia 31 de julho de 2020. O filme conta a história de um rei africano separado de sua família em um mundo implacável. Ele subsquentemente passa por uma jornada “Ele subsequentemente passa por uma jornada “através da traição, do amor e do autoconhecimento” para recuperar seu trono, utilizando a orientação de seus ancestrais e seu amor de infância. A história é contada através das vozes de pessoas negras da atualidade,

Sobre Victor Miller 24 Artigos
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.