Teatro | Rod Nogueira

Uma peça de teatro é uma forma literária normalmente constituída de diálogos entre personagens e destinada a ser encenada – não apenas lida. As peças teatrais, tais como as que conhecemos no mundo ocidental, surgiram na Grécia Antiga, através das mãos de grandes teatrólogos, como ÉsquiloSófoclesEurípedes e Aristófanes.

Gênero teatral é uma definição sempre questionável. Como toda generalização, sempre tenderá a negligenciar particularidades de cada obra individual e, como toda definição, ela será sempre marcada por questões e pontos de vista culturais inerentes a cada época.

René Wellek e Austin Warren, em sua obra Teoria da Literatura, distinguem duas definições sobre o gênero: a do pensamento clássico e a do pensamento moderno:

A teoria clássica, de caráter normativo e prescritivo, se importava em quanto cada gênero diferia do outro, quanto a natureza e ao prestígio e considerava que os gêneros “deveriam ser mantidos separados”. Esta se preocupava em procurar essências de cada um e discriminar diferenças.

A teoria moderna, por outro lado, de natureza descritiva e pragmática, não limita o número de espécies e nem se preocupa com regras definidoras de cada um, admitindo misturas e o surgimento de novas espécies, assim como o hibridismo entre ambas. A teoria moderna se preocupa mais em buscar pontos de intersecção ou pontos em comum entre o(s) gênero(s).

Gêneros teatrais

Teatro, do grego θέατρον (théatron), é uma forma de arte em que um ator ou conjunto de atores, interpreta uma história ou atividades para o público em um determinado lugar. Com o auxílio de dramaturgos ou de situações improvisadas, de diretores e técnicos, o espetáculo tem como objetivo apresentar uma situação e despertar sentimentos no público. Também denomina-se teatro o edifício onde se desenvolve esta forma de arte, podendo também ser local de apresentações para a dançarecitais, etc.

O termo teatro e seus significados

Segundo a Enciclopédia Britânica (ou Encyclopædia Britannica), a palavra teatro deriva do grego theaomai[1] (θεάομαι) – olhar com atenção, perceber, contemplar (1990, vol. 28:515). Theaomai não significa ver no sentido comum, mas sim ter uma experiência intensa, envolvente, meditativa, inquiridora, a fim de descobrir o significado mais profundo; uma cuidadosa e deliberada visão que interpreta seu objeto (Theological Dictionary of the New Testament vol.5:pg.315,706)

teatro, mais do que ser um local público onde se vê, é o lugar condensado da vivência das ambiguidades e paradoxos, onde as coisas são tomadas em mais de uma forma ou sentido. Robson Camargo assim o define (2005:1):

Jaco Guinsburg por sua vez, descreve a expressão cênica como formada por uma “tríade básica – atuante, texto e público”, sem a qual o teatro não teria existência (1980:5). Atuantes não são apenas os atores, podendo ser objetos (como no teatro de bonecos) ou outras formas ou funções atuantes (animais ou coisas); o texto, por outro lado, não é apenas o texto escrito ou o falado no palco, pois o teatro não é uma arte literária ou, como afirma Marco de Marinis (1982), no teatro há um texto espetacularGreimas em seu estudo da narratologia usa o termo actante em vez de atuante, para definir este primeiro elemento que desenvolve a narração (Greimas, A. J. y Courtes, J., 1990). (Actante em: Semiótica. Diccionario razonado de la teoría del lenguaje. Madrid: Gredos).

Aristóteles e a importância do espetáculo na Tragédia

Natya Shastra – (Nātyaśāstra नाट्य शास्त्र), junto com a Poética de Aristóteles, é um dos mais antigos textos sobre o teatro, o trabalho do ator, a produção de espetáculo e a dramaturgia clássica da Índia. Seus escritos descrevem a dança e a música clássica da Índia, que são partes fundantes do teatro nesta cultura. Foi escrito provavelmente entre os séculos 200 antes de Cristo e 200 da era cristã. Bharatamuni seria o autor do tratado, Bharata, significa ‘ator’, Bharatamuni pode ser traduzido como o sábio Bharata ou o ator sábio (Mota, 2006)

Be the first to comment

Deixe uma resposta