Videoclipe | Afinado

Os elementos básicos constituintes do videoclipe são a música, a letra e a imagem, que, manipulados, interagem para provocar a produção de sentido. Os aspectos (características) de como estes elementos são construídos incluem a montagem, o ritmo, os efeitos especiais (visuais e sonoros), a iconografia, os grafismos, e os movimentos de câmera, entre outros. A montagem é o processo de justaposição de imagens diferentes filmadas separadamente. A mudança de uma imagem para outra é chamada de “corte”, e cada intervalo entre um corte e outro recebe o nome de “plano”. Na montagem de videoclipes, este intervalo costuma ser muito curto. A iconografia diz respeito à origem das imagens usadas como referência cultural, ao repertório visual utilizado no clipe. Muitos videoclipes fazem referências a figuras de outras expressões culturais, como a literatura, o teatro, as artes plásticas e o cinema, entre outros. Às vezes esse tipo de referência é feito sob a forma de paródia ou pastiche. O grafismo é a introdução de elementos gráficos, como tipografia (letras e algarismos), desenhosanimações e formas geométricas, ou quaisquer elementos não-filmados, na imagem final.

A estética videoclipe influenciou outras manifestações audiovisuais, como a produção de TV, Cinema e videoarte. Vários diretores de videoclipes viraram diretores de cinema e TV. Um dos primeiros foi o inglês Derek Jarman, que fez clipes para os Pet Shop Boys, os Smiths e Marianne Faithfull, entre outros, realizou filmes inovadores na década de 1980. Mais recentemente, dos final dos anos 1990 em diante, diversos diretores de clipes musicais têm se tornado cineastas e realizado filmes que inspiram inovações de forma e linguagem na indústria cinematográfica. Nos Estados Unidos, tais diretores criaram uma nova safra do cinema independente norte-americano. Alguns destes são Spike JonzeMichel GondryMike MillsDavid FincherMark RomanekWes AndersonJonas Åkerlund, Roman Coppola e McG, entre outros.

Outras produções que têm chamado a atenção por causa das novas formas com que tratam a imagem cinematográfica e a aplicação da “estética videoclipe” à construção fílmica são, ainda, “Corra, Lola, Corra” (Lola Rennt), “Clube da Luta” (Fight Club), “Europa” (Europa), “Amores Brutos” (Amores Perros), “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” (Amélie Poulain) e “Cidade de Deus” (idem). Há, entre eles, muitas distinções, porém um fato em comum: trazem uma nova plasticidade imagética, como montagem acelerada e grafismos.

A estética videoclipe também exerceu forte influência sobre o mercado publicitário, levando os profissionais de propaganda a buscar anúncios cada vez mais impactantes e sintonizados com tendências estéticas mais recentes quanto possível. Há, ainda, influência considerável do videoclipe dos (e nos) jogos eletrônicos (videogames).

Be the first to comment

Deixe uma resposta